sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Tarot - o oráculo


Ao contrário do que possam pensar, os tarólogos não têm um dom da visão. Apenas nos limitamos a ler as cartas e os cenários que elas nos mostram. Os oráculos são um elemento precioso que nos pode auxiliar bastante na nossa vida e nas decisões que tomamos. No entanto não são eles que nos ditam o destino, apenas nos indicam o caminho que estamos a tomar e as suas consequências, cabe-nos a nós escolher se queremos continuar nesse caminho ou se pretendemos fazer algumas mudanças. Temos sempre o poder de decisão, e com isso a responsabilidade pelas nossas escolhas. Mas os oráculos servem como amigos conselheiros que nos mostram todo o panorama, ao qual sem eles, não teríamos acesso.

O Tarot, como oráculo, dispõe sempre de mais informação que nós. Conhece bem o nosso estado de espírito e a nossa forma de agir, mas também toda a nossa envolvente. Assim permite-nos fazer escolha de forma mais consciente e mais bem informados. Por vezes alerta-nos para situações de que não tínhamos conhecimento e permite-nos ajustar o nosso comportamento a determinadas situações.

Apenas para referir que não existe consenso sobre a questão do oráculo. Há quem considera o instrumento o oráculo, como o tarot, as runas, os pêndulos..., no entanto existe quem defenda que o oráculo é a pessoa que lê pois é ela a mensageira que transmite a informação. Isso explica por vezes o porquê de existir conclusões diferentes, para uma mesma tirada, entre duas pessoas ou mais. No entanto deve-se confiar no juízo de quem faz a leitura, uma vez que foi com ela que as cartas (ou outra forma divinatória) comunicaram. 

O Tarot Universal da Deusa é um tarot muito especial com características muito específicas. Ele é representado por diversas Deusas de diversos panteões de todo o mundo, sendo que cada carta se mistura e envolve com a história e a essência da Deusa que representa. Deve ser trabalhado por alguém que tenha grande paixão e curiosidade por diversas mitologias.

Vale a pena experimentar.