domingo, 21 de abril de 2013

Equilíbrio

Foto retirada do site
"Porque só damos valor às coisas quando as perdemos?" Todos nós já fizemos esta pergunta a nós mesmos em alguma altura da nossa vida. Acredito que até possa ser uma coisa boa, é a forma que a vida tem de nos ensinar a dar valor àquilo que temos e quando nós nos esquecemos, ela arranja forma de nos relembrar. Se a juventude, a vida, a luz fossem eternas nós nem daríamos pela sua presença nem lhe daríamos o devido valor.

Não acredito em castigos divinos, apenas o Universo tem as suas leis e formas subtis de funcionar. Por vezes pode ser doloroso e parecer cruel, eu sei. Afinal, porque é que uma criança nasce doente? Que mal fez ela para merecer isso? Ou mesmo que fosse para castigar os pais pelas suas más escolhas, seria justo? Nenhuma criança fez mal algum para ter tal destino, no entanto acredito que isso acontece para que nada nesta vida seja um dado adquirido. Se todas as crianças fossem saudáveis não iríamos dar valor à sua sorte, não sentiríamos uma enorme felicidade por os nossos filhos serem saudáveis. E uma criança doente não faz dela menos criança. Precisa de todo o amor e atenção como qualquer outra criança ou até mais. 

Foto retirada do site 
Apenas nada na vida é um dado adquirido a não ser o seu oposto, a morte. É preciso haver escuridão para se entender a luz, é preciso haver sofrimento para se saber amar, uns têm que morrer para que outros possam sobreviver. Isso não significa que seja maldade, são as leis do Universo, e o que torna a vida tão especial, de emoções tão fortes e de ensinamentos tão profundos.

Muitas pessoas se sentem revoltadas por todo o "mal" que lhes acontece. Sentem que nada fizeram para merecer tal sorte. O que ninguém entende é que, se toda a nossa vida fosse simplesmente perfeita, não lhe iríamos dar o mínimo valor nem encontrar a verdadeira felicidade. 

Sem comentários:

De 24 a 30 de Outubro

Esta semana estamos sob as bênçãos da Deusa Astarte , Rainha do Oriente representada na carta III - A Imperatriz. A frase que a defin...