sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Abertura do circulo mágico


Escrevi este post apenas por conhecimento próprio que fui adquirindo ao longo de várias leituras, por isso é algo muito leve e existe bem mais informação que o pode completar para quem pretende saber mais sobre o circulo mágico. O que pretendo é explicar a abertura do circulo mágico de uma forma simples e acessível a todos, mas por vezes, acabamos por tomar por assumido algum conhecimento, principalmente quem anda nestas andanças a algum tempo, acaba por se esquecer que existem sempre pessoas novas a entrar e que não olham da mesma forma que nós para esta informação. Logo se surgir alguma dúvida fiquem à vontade para perguntar.  

O circulo costuma ser invocado e utilizado para a realização de feitiços e rituais. Na criação do circulo criamos um espaço único de protecção que nos permite trabalhar sem a influência de entidades e energias menos boas que não queremos atrair. Dentro do circulo não existe tempo nem espaço, como se estivéssemos à margem de todas as dimensões. Existem várias formas de abrir o circulo e acredito que, desde que se tenha fé no que se faz, todas elas são eficazes. 

Foto minha


Podemos abrir o circulo com a varinha ou o athem, mas o bom mago não necessita de qualquer instrumento para o fazer, a não ser o poder da mente. Além disso qualquer instrumento por si só não faz absolutamente nada pois é sempre necessário a concentração e visualização da pessoa que está a trabalhar a sua arte. No entanto, estes instrumentos podem ajudar na concentração do mago ao canalizar a sua energia e ao imaginar a linha em que se cria o circulo. Existe também a possibilidade de delimitar o circulo com materiais físicos, por exemplo pedras semi-preciosas, o que pode ajudar também na visualização dos limites do circulo onde se trabalha. 

Costuma-se abrir o circulo pelo quadrante Este ou Norte, mas não é obrigatório que assim seja. Afinal é um circulo e no final tem que estar unido. Contudo, sempre que estamos perante o quadrante é importante que se tenha a noção da sua representação e do seu poder. A invocação feita depende de cada um, tanto pode ser mais elaborada como algo simples e intuitiva. Há quem faça a abertura através dos pentagramas, mas lá está, depende de cada um. Ao abrir o circulo é importante ter em conta que devemos seguir pelos ponteiros do relógio e ao fechar andamos no sentido contrário (no Hemisfério Norte, para o Hemisfério Sul pode variar). 

Seguindo o sentido horário e começando por Este temos:
O Quadrante Este é representado pelo elemento ar, a racionalidade, o amanhecer, a primavera, o nascimento, a infância,... 
O Quadrante Sul é representa pelo elemento fogo, a intuição, o meio-dia, o verão, a adolescência e juventude....
O Quadrante Oeste é representado pelo elemento água, as emoções, purificação, o anoitecer, o outono, a maturidade...
O Quadrante Norte é representado pelo elemento terra, o físico, a meia-noite, o inverno, a velhice e morte...

Ora se repararem o circulo em si representa vários círculos, todos eles ligados a nós. Ele representa o dia, o ano e a vida (e morte) onde não existe nem principio nem fim. 

Para além dos quatro elementos ainda existe um quinto elemento que pode e deve ser invocado, O Espírito que faz parte do todo, assim como os Deuses. Só assim o circulo está completo, tal e qual um pentagrama. 

O circulo realmente funciona como nosso protector, no entanto, quanto mais forem praticando e aprofundado a sua representação mais facilmente irão perceber a sua complexidade e o seu enorme poder. Por vezes, para mim, o simples facto de criar o circulo é mais que suficiente para me começar a sentir bem, sentir a presença dos elementos, dos Deuses é algo que não tem palavras para descrever. 



Algo que me irrita profundamente é quando ouço alguém que não tem nada a ver com paganismo, mas sabe da existência do circulo e quer fazer magia (os chamados Wicca coca-cola e não só). Como é que alguém que não tem qualquer fé nos elementos nem nos Deuses, não conhece o seu poder e a sua representação, pode abrir um circulo para sua protecção? O circulo não é uma ferramenta, é uma crença, é algo que se tem que sentir, entender e interiorizar e isso demora o seu tempo. O contacto com os elementos e com os Deuses, só com perseverança e prática conseguimos melhorar a cada ritual. Com o coração aberto e dedicado a esta crença, sem isso nada feito. 

Foto minha


Como nem sempre encontramos formas de abertura de circulo e acho que isso se deve por ser uma prática pessoal, assim como não devemos contar os nosso rituais. No entanto, se não partilharmos as nossas práticas como irá passar a informação para quem quer aprender e não tem acesso a nenhum coven por perto?

Decidi contar-vos como faço, mas mais um vez refiro que devem ter em mente que é apenas a minha experiência e não a forma certa ou a única forma de o fazer. 

Eu tenho duas formas de abrir o circulo, depende do intuito. Quando quero meditar de forma mais concreta (não vos consigo explicar melhor isto) abro o circulo como aprendi na OBOD



Começo pelo norte e digo:"Que haja paz a Norte", depois (e o mais importante) visualizo uma onde de paz a sair de mim em direcção a Norte, primeiro para as casas vizinhas, depois para as cidades e depois para países, a atravessar oceanos e chegar a outros continentes. Vou pelo sentido horário para Sul e digo: "que haja paz a Sul", lançando a mesma onda de paz, depois a Oeste e por fim Este, no final volto-me para dentro do circulo e digo "Que haja paz em todo o mundo" e consigo sentir o ligamento das ondas de paz que enviei e envolverem todo o planeta Terra. Neste caso não fecho o circulo, lancei ondas de paz, não as vou retirar.

Quando pretendo fazer um ritual ou conversar com os Deuses ou algo que sinto que preciso de protecção então abro de outra forma. 
Começo pelo Este, de braços abertos digo "Guardiões dos quadrantes do Este, eu vos invoco para o meu ritual. Sejam bem-vindos" por vezes acrescento algo relacionado com o elemento deste quadrante, mas nunca é igual e é algo que me surge no momento, tal como "tragam-me o vosso conhecimento, a vossa razão, a vossa sabedoria" isto porque o Este está ligado ao elemento ar e como tal à racionalidade. Depois tento visualizar um corrente de ar. Coloco a minha mão direita com a palma da mão voltada para baixo e imagino a traçar uma linha dourada até chegar a Sul, abro os braços voltada para Sul e volto a dizer o mesmo "Guardiões dos quadrantes do Sul, eu vos invoco para o meu ritual. Sejam bem-vindos" e imagino um chama de fogo ardente. Sigo até Oeste a traçar a minha linha e volto a dizer "Guardiões dos quadrantes do Oeste, eu vos invoco para o meu ritual. Sejam bem-vindos" e imagino um lago ou uma onda do mar, sigo para Norte a delimitar o circulo e volto a dizer "Guardiões dos quadrantes do Norte, eu vos invoco para o meu ritual. Sejam bem-vindos" e imagino o cheiro da terra e sinto a sua estabilidade debaixo dos meus pés. Continuo a delimitar o circulo até Este para ficar concluído, vou até ao centro do circulo onde já tenho previamente o altar montado voltado para Norte. 


Foto minha 

Acendo um incenso e digo "Elemento ar sê bem vindo", depois acendo uma vela e digo "Elemento fogo sê bem vindo", molho os dedos num cálice com água, borrifo um pouco o altar e digo "elemento água sê bem vindo", por fim seguro o meu pêndulo ónix nas mãos e digo "elemento Terra sê bem vindo". Costumo ter o meu colar de pentagrama ao meio, ponho as minhas mãos sobre ele e digo "Espíritos de luz, Espíritos deste lugar protejam este circulo sagrado, sejam bem vindo a este ritual". Acabo por acender uma vela vermelha que tenho à direita do altar e invoco o Deus e depois uma vela branca que tenho à Esquerda e invoco a Deusa, dou-lhes as boas vindas e começo o ritual. 

No final agradeço aos Deuses a sua presença assim como aos espíritos de luz, vou até ao Este e digo "Guardiões dos Quadrantes do Este, obrigada pela vossa presença neste meu ritual. Ide agora em paz." Coloco a minha mão esquerda voltada para baixo e imagino a linha dourada a subir para a minha mão e a apagar, vou até ao Norte e digo o mesmo, depois Oeste e Sul e apago a linha até ao Este. Se as velas e incenso ainda tiverem a arder, deixo-as a arder até ao fim. E é isto!



Este foi um tópico que abri no forum Mundo Verde , por isso sintam-se à vontade de deixar aqui as vossas sugestões ou irem até lá participar na discussão. 

2 comentários:

Elano disse...

OLA,TUDO BEM?
GOSTARIA DE DIZER QUE FOI MUITO OPORTUNO ESTE TUTORIAL SOBRE COMO ABRIR E FECHAR O CIRCULO MÁGICO,POIS NÓS QUE ESTAMOS COMEÇANDO A JORNADA AO CONHECIMENTO DA ARTE TEMOS MUITAS DÚVIDAS.
EU SEMPRE TIVE CURIOSIDADE DE SABER COMO DESFAZER O CIRCULO MÁGICO APÓS O USO,POIS EN TODO LUGAR SE FALA EM COMO ABRIR MAS NÃO COMO DESMANCHAR O CIRCULO. ESPERO QUE CONTINUE ESCREVENDO POSTS DESSA NATUREZA.
OBRIGADO!

Vânia Silva disse...

Olá Elano!

Obrigado pelas suas palavras. É sempre importante saber a opinião de quem lê os post e se este foi útil para si fico bastante feliz por isso.

Este tópico surgiu por acaso. Foi através de pessoal que, assim como o Elano, está a começar agora o caminho da arte e colocou essa dúvida no forum Mundo Verde. Daí decidi escrever sobre o tema e contar a minha experiência.

Por isso é mais fácil que, sempre que tenha alguma dúvida,pergunte. Por vezes perdemos a noção das dúvidas de quem é novo na arte e que tem dificuldade em vários conceitos que mais tarde se tornam básico.

Dai deixo-lhe a sugestão, quando tiver alguma dúvida ou gostava de obter mais informação sobre algo especifico, que diga. Não lhe garanto que saiba responder a tudo. Afinal todos estamos em aprendizagem, mas se souber responder à questão abrirei um tópico sobre isso.

Mais uma vez obrigada pelo seu comentário.